Petrobras adquire três blocos offshore no Regime de Partilha da Produção

Petrobras adquire três blocos offshore no Regime de Partilha da Produção

416
COMPARTILHAR

Em continuidade ao Fato Relevante divulgado no dia 25 de maio de 2017, informamos que adquirimos, em parceria com outras companhias, três blocos offshore nas 2ª e 3ª Rodadas de Licitações no regime de Partilha de Produção, realizadas hoje pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), sendo operadora em todos os blocos.

No regime de partilha de produção, o consórcio entrega ao governo um percentual denominado “excedente em óleo lucro para a União”, que se aplica sobre a receita descontada dos custos de produção e dos royalties. A oferta de excedente em óleo lucro para a União foi o único critério adotado pela ANP para definir a proposta vencedora, já constando previamente no edital o valor fixo do bônus de assinatura, o programa exploratório mínimo e os compromissos de conteúdo local.

O quadro a seguir sintetiza os blocos adquiridos por nós, em parceria, nas 2ª e 3ª Rodadas de Licitações no regime de Partilha de Produção:

tabela-leilao-out17a.jpg

A exemplo da 14ª Rodada de Licitações no Regime de Concessão, realizada em setembro, atuamos de forma seletiva nos leilões realizados hoje, refletindo nossa visão estratégica de recomposição do portfólio exploratório, em que busca manter a relação entre reserva e produção e assegurar a sustentabilidade da nossa produção futura de óleo e gás.

Além disso, a atuação em consórcios com importantes empresas está alinhada com o nosso objetivo estratégico de fortalecer parcerias, compartilhando riscos, combinando competências técnicas e tecnológicas e capturando sinergias para alavancar resultados, enquanto reflete a relevância destas áreas no Brasil para as empresas de petróleo de classe mundial.

No Entorno de Sapinhoá, a companhia foi exitosa em manter a mesma composição do consórcio de Sapinhoá, concessionário da área unitizável adjacente, em que já atuavamos em parceria com a Shell e a Repsol Sinopec. No bloco de Peroba, compuseram o consórcio conjuntamente conosco, a CNODC, subsidiária da CNPC, importante parceira no Pré-sal da Bacia de Santos, e a BP, que também é nossa parceira na Margem Equatorial e na Bacia de Campos. No Alto do Cabo Frio Central, vencemos em parceria com a BP.

O bloco Entorno de Sapinhoá está localizado na porção central da Bacia de Santos. Em agosto de 2017, o campo de Sapinhoá foi o segundo maior produtor de petróleo e gás natural do Brasil, com 325 mil barris de óleo equivalente produzidos por dia.

O valor total do bônus de assinatura que pagaremos, de R$ 1,14 bilhão, representa 0,5% dos investimentos previstos no Plano de Negócios e Gestão 2017-2021 e será remanejado dentro do orçamento aprovado. Após o leilão realizado hoje, haverá a etapa de qualificação dos licitantes vencedores e posterior assinatura dos contratos.

Fonte: Petrobras